Relações Paralelas PDF Imprimir E-mail

Relações Paralelas


 

Organização

Universidade Metodista de São Paulo

Profissional Responsável

Maria Aparecida Ferrari

Ano da Premiação

2003




Definição do Projeto

"Relações Paralelas" é um projeto de relações públicas do e para o Curso de Relações Públicas da Universidade Metodista de São Paulo.

Sua criação deveu-se às inquietações e sugestões de um grupo de professores que, em conjunto com a coordenação do curso e com a participação dos estagiários da Agência Experimental de Relações Públicas, apresentaram um plano de ações estruturado segundo as técnicas da profissão.

O objetivo principal do Projeto Relações Paralelas é solucionar problemas internos e externos, decorrentes da desinformação de seus públicos estratégicos e motivar principalmente os discentes, mediante esclarecimentos sobre o mercado de trabalho e sobre a correta função social da atividade de relações públicas.

Introdução

O Curso de Relações Públicas da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp) foi criado em 1972, mantendo-se por mais de uma década atrelado à primeira grade curricular imposta pelo Conselho Federal de Educação, sem distinção, aos diversos cursos de comunicação social e às três especialidades que os compunham – Jornalismo, Propaganda e Publicidade e Relações Públicas. Em 1983, com a criação da Agência Experimental de Relações Públicas, o curso deu o primeiro passo em direção da união da teoria com a prática e iniciou seu processo de consolidação a partir de 1985 com a primeira reformulação da grade curricular.

Outras reformulações se seguiram, paralelamente à busca de identidade da própria profissão, até que, em 2000, com a introdução do Projeto Pedagógico, novas oportunidades se abriram para a adoção de um programa de ensino com características, efetivamente, acadêmicas e práticas.

Em 2001, algumas atividades extracurriculares, decorrentes principalmente do esforço de integração da Umesp em sua região de influência, ganharam, no curso de relações públicas, a dimensão de atividades de extensão, sob a denominação de Relações Paralelas. Os bons resultados das primeiras experiências levaram a atual coordenação a propor a um grupo de professores um estudo mais aprofundado de questões relacionadas com a profissão e com o próprio curso, que acabaram resultando, em 2002, na transformação das Relações Paralelas num programa de relações públicas para o curso de Relações Públicas.

Para tanto, administração, professores e alunos uniram-se na tarefa de cumprir as diversas etapas que compõem o processo de elaboração de um projeto de relações públicas.

Diagnóstico

Pontos Fortes

O curso de relações públicas da Umesp completou, em 2002, 30 anos de história, durante os quais estabeleceu uma cultura fundamentada na tradição, na ética e na excelência. Por isso, seu grande diferencial é a qualidade do ensino, reconhecida por publicações especializadas do setor, que o classificam entre os melhores do País, e por diversos profissionais que, na escolha de candidatos a estágio, privilegiam seus alunos.

Porém, o principal termômetro desse nível de qualidade é a opinião dos próprios alunos que, em recente pesquisa feita pela Umesp, a apontam como principal razão para a sua opção pelo curso de relações públicas da Universidade Metodista de São Paulo.

Ao lado da qualidade do ensino, destacam-se ainda como pontos fortes do curso a tradição educacional da instituição metodista, a competência de seu corpo docente formado, em quase sua totalidade, por professores pós-graduados, a dedicação de um grupo de professores à reflexão e à pesquisa em torno das questões relacionadas com a profissão e com o próprio curso e a disposição da comunidade metodista para a permanente atualização de sua linha e métodos educacionais.

Sua matriz curricular é constituída por disciplinas teórico-práticas, complementadas por atividades de extensão e extracurriculares, com destaque especial para o house organ e outras atividades laboratoriais e para a Agência Experimental de Relações Públicas, formada por três núcleos (Pesquisa, Eventos e Produtos e Instrumentos de Comunicação), que contam com, aproximadamente, 30 estagiários, renovados anualmente.

Oportunidades

A localização da universidade na região do ABC, formada por 7 municípios que, junto com a região sul da Capital de São Paulo, compõem um dos mais importantes – se não o mais importante – parques industriais do País, configura-se como uma das principais oportunidades, uma vez que torna relações públicas uma alternativa profissional interessante para a população jovem da região.

Outra grande oportunidade é oferecida pela valorização da profissão nos últimos anos e pelas perspectivas altamente positivas de ampliação de seu mercado específico de trabalho, decorrentes principalmente do reconhecimento da comunicação institucional como elemento fundamental do planejamento estratégico das organizações e do surgimento de novos segmentos de atuação como meio ambiente, agrobusiness e terceiro setor.

O reconhecimento da importância da comunicação institucional vem possibilitando a expansão das relações públicas nas organizações, fenômeno este identificado por estudiosos da área, como Al e Laura Ries, em sua mais recente obra, traduzida para o português sob o título "A Ascensão das Relações Públicas".

Esse cenário é percebido por professores e profissionais que vêm se dedicando, nos últimos anos, ao aprofundamento de estudos e pesquisas voltados para a consolidação das relações públicas como parte integrante da ciência da comunicação e para o seu reconhecimento como profissão aceita por todos os segmentos da sociedade.

Pontos Fracos

A ausência de instrumentos de comunicação voltados para a maximização de seus pontos fortes constituía-se, até a criação do projeto Relações Paralelas, no principal ponto fraco do curso. Predominava o discurso intramuros, ou seja, reconheciam-se, internamente, os pontos fortes do curso sem, no entanto, valorizá-los frente aos seus públicos de interesse.

O curso tinha claros os parâmetros e os paradigmas que sustentam as relações públicas como ciência e como profissão, conservando-os, porém, nos limites acadêmicos, sem levá-los ao conhecimento daqueles que detêm o poder de legitimação: a comunidade empresarial, a juventude estudantil e a comunidade regional.

Ameaças

Esse desconhecimento da profissão surge como uma das maiores ameaças, principalmente no ambiente externo, em função das restrições que os pais impõem a seus filhos quanto à opção por relações públicas.

O modismo que, no passado, sustentou as escolas de comunicação social, deu lugar a uma visão mais prática da vida e à luta pela sobrevivência, situação essa agravada pela crise econômica que reduziu significativamente o número de candidatos por vaga, nos vestibulares dos últimos anos.

O desconhecimento da profissão por parte até mesmo dos alunos aprovados no vestibular transforma o curso numa incógnita desmotivadora que reforça as razões de caráter financeiro para aumentar o clima de insatisfação interna e a taxa de evasão escolar.

Os alunos veteranos, que sobrevivem aos primeiros anos de incertezas quanto ao sentido da profissão escolhida, embora alvos de um ensino fundamentado em uma grade curricular teórico-prática, vêm-se frente à ausência de um contato mais direto com o mercado.

Definição do Problema

Tanto o cenário interno quanto o cenário externo do curso de relações públicas da Umesp caracterizavam-se pelo reconhecimento, por todos os seus públicos de interesse, do alto nível de qualidade do ensino. Existia, no entanto, uma total desinformação em relação à profissão, ao mercado de trabalho e à estrutura do curso, que contribuía, internamente, para o agravamento do nível de insegurança e de insatisfação e, externamente, para a redução da oferta de trabalho e para o ambiente de rejeição ao curso como opção de carreira.

Públicos-Alvo

Os públicos para os quais se dirige o projeto Relações Paralelas foram identificados simultaneamente à elaboração do diagnóstico e compõem os elementos que determinaram a definição do problema, tanto no cenário interno quanto no externo.

Internamente, o alvo do programa é o corpo discente (calouros e corpo discente como um todo).

Externamente, o conjunto das organizações e da comunidade regional (empresas industriais, de serviços e do terceiro setor, pais de alunos e candidatos ao vestibular).

Objetivos Gerais e Específicos

Objetivo Geral

Conquistar, para o curso de Relações Públicas da Universidade Metodista de São Paulo, a aceitação por parte de seus públicos de interesse (corpo discente e comunidade externa), de forma a promover a integração dos diversos segmentos envolvidos, a compreensão dos conceitos fundamentais da profissão e o reconhecimento de sua importância para o mercado de trabalho e para a sociedade como um todo.

Objetivos Específicos

Calouros

Integrar os novos alunos na comunidade acadêmica, informando-os sobre a cultura e normas da instituição e oferecendo-lhes respostas satisfatórias a suas expectativas, esclarecendo-os sobre a profissão que escolheram, sobre o curso, sua estrutura e grade curricular, de forma a se transformarem em elemento ativo da própria formação.

Corpo discente

Estimular os alunos a se dedicarem ao curso e levá-los à compreensão do próprio papel em sua formação profissional, mediante programação de atividades extracurriculares que contribuam para alargar a visão prática da profissão e a instrumentalizá-los para o processo de educação continuada.

Organizações (comunidade empresarial e do terceiro setor)

Ampliar o mercado de trabalho para os profissionais de relações públicas e criar novas oportunidades de estágio para os alunos do curso, mediante esclarecimento dos conceitos da profissão e de sua importância para a moderna administração.

Comunidade (pais de alunos e candidatos ao vestibular)

Conquistar a aceitação da comunidade regional, mediante esclarecimento dos conceitos e da importância da profissão, da amplitude do mercado de trabalho, da cultura metodista, da estrutura e metodologia de ensino e dos diferenciais que fazem do curso de relações públicas da Umesp um dos melhores do País.

Estratégia

Em função do problema identificado no diagnóstico – deficiência de informação, resultante em insatisfação e insegurança no contexto interno e desconfiança quanto à real importância da profissão, no contexto externo –, o grupo de trabalho elegeu a informação como principal instrumento estratégico de todo o projeto.

Com o objetivo de minimizar os custos, o projeto Relações Paralelas foi incorporado à Agência Experimental de Relações Públicas, o que permitiu, inclusive, transformá-lo em fator de aprendizagem para os estagiários que nela atuam.

Professores coordenadores dos núcleos da agência (Núcleo de Pesquisa, Núcleo de Eventos e Núcleo de Produtos e Instrumentos de Comunicação), em conjunto com os estagiários e sob a coordenação da Professora Maria Aparecida Ferrari, preencheram as necessidades de recursos humanos indispensáveis.

Como se tratava de recuperar confiança e credibilidade, foi estabelecido um conjunto de ações voltadas para as duas dimensões – acadêmica e profissional – e que estabelecessem um diálogo franco entre a administração/professores do curso e os diversos públicos envolvidos, com o testemunho de profissionais de reconhecida competência, em exercício de funções executivas em grandes organizações.

Ações

O programa de ações foi estabelecido para o alcance dos objetivos propostos e de forma a se transformar, para estagiários e alunos envolvidos, em oportunidade de aprendizagem do planejamento e do emprego das técnicas e instrumentos de relações públicas.

Semana de Imersão para os Calouros

Voltada para os novos alunos, a Semana de Imersão compõe-se de uma programação voltada para o diálogo entre a coordenação do curso, os professores e os novos alunos, e é desenvolvida na primeira semana de aula.

Preparação

A etapa de preparação, sob a responsabilidade da Agência Experimental de Relações Públicas, principalmente do Núcleo de Eventos, engloba as seguintes atividades:

elaboração da programação;

levantamento do mailing dos novos alunos junto à Secretaria Acadêmica da Universidade;

envio de carta-convite, explicando o que é o evento e encaminhando a programação para todos os novos alunos;

confirmação via e-mail;

preparação dos textos e apresentações, com recursos eletrônicos, das diversas atividades;

atribuições de responsabilidades entre professores e estagiários;

seleção e convite a profissional (ou profissionais) da área em atividade em organizações de grande porte assim como a ex-alunos para dar depoimentos sobre o curso e sua atual vida profissional;

reservas dos espaços físicos necessários: auditórios e salas de aula;

reservas dos equipamentos necessários;

comunicado a todos os setores da universidade a serem envolvidos.

Execução

A etapa de execução, também sob a responsabilidade da Agência Experimental de Relações Públicas, obedeceu, em 2002, à seguinte programação:

Avaliação

A avaliação dos resultados vem sendo feita, neste ano de 2003, pelos professores e pela coordenação do curso, mediante acompanhamento dos alunos do 1º ano (1º e 2º semestres), que participaram da Semana de Imersão. Percebe-se que aumentou o grau de confiança no curso com uma correspondente redução no grau de insatisfação. Os alunos veteranos, que não tiveram a chance de participar do mesmo programa, queixam-se do desconhecimento das normas e regulamentos da Universidade, da falta de integração com o contexto acadêmico e da falta de respostas às suas expectativas em relação ao curso e à profissão. Nota-se ainda por parte dos novos uma postura menos questionadora em relação à grade curricular e uma dedicação mais acentuada ao estudo, por encontrarem justificativas para as disciplinas que a compõem.

Oficinas para os Alunos Veteranos

Voltadas para todo o corpo discente, as oficinas, programadas para acontecer uma vez por ano, além de completar de forma mais prática a grade curricular, aproxima os alunos do mercado de trabalho, colocando-os em contato com profissionais do setor, com os quais discutem técnicas e instrumentos por estes empregados no dia-a-dia da profissão. Os temas das oficinas são, necessariamente, relacionados com disciplinas que fazem parte da grade curricular do curso. A participação dos alunos é de caráter obrigatório.

Preparação

Sob a coordenação da Professora Jocélia Mainardi, a etapa de preparação contou com a participação de todos os professores e dos estagiários do Núcleo de Eventos da Agência Experimental de Relações Públicas, englobando as seguintes atividades:

seleção dos temas;

elaboração da programação – folder;

indicação dos palestrantes pelos professores;

convite aos palestrantes e confirmação;

reserva de espaço físico e de equipamentos eletrônicos;

providenciar transporte para os palestrantes;

montar sistema de divulgação para os alunos;

preparar o sistema de inscrições mediante doação de uma lata de leite em pó à entidades assistenciais;

montagem da infra-estrutura;

sinalização indicativa dos locais das oficinas;

preparação de kits para os palestrantes com publicações da Universidade.

Execução

Sob a responsabilidade dos professores e dos estagiários da Agência Experimental, a execução das oficinas obedeceu a seguinte programação em 2003:


1º de outubro – das 8h00 às 11h00

Carla Fabiana (Catho) – Como Elaborar um Currículo.

Camila Mercatelli (Umesp) – Oratória (Continuação da oficina no dia 02/out).

Fernando Dias (Grifa Cinematográfica) – A TV como Veículo de Legitimação Institucional.

Marcel Almeida e Álvaro Almeida (Trevisan Auditores) – As Novas Obrigações Sociais das Empresas/ Balanço Social.

Eleni Gritzaps (CDI) – Assessoria de Comunicação


1º de outubro – das 20h00 às 23h00

Orpheu Cairolli (ECM) – As Interfaces de RP e RH.

Cláudia D’Amato (LVBA) – Gerenciamento de Crises.

Vivian Yamashita (Ferman) - O Mercado de Trabalho para Relações Públicas no 3° Setor (continuação da oficina dia 02/out).

Paula Nauhardt (AMD) - Assessoria para Empresas de Tecnologia.

Cláudio Pelizari (Etiqueta Empresarial) – Etiqueta Empresarial.

Fernando Costa (Carrefour) - Responsabilidade Social e Voluntariado Empresarial.

Luciana Sabbadini (Mackenzie) - Cerimonial e Protocolo em RP.

2 de outubro – das 8h00 às 11h00

Orpheu Cairolli (ECM) - As Interfaces de RP e RH.

Camila Mercatelli ( UMESP) – Oratória.

Adriane Froldi (LVBA) - Relações com a Imprensa.

Rosana Nassar (PUCCAMP) - Relações Públicas na Área Hospitalar.

Claudio Pelizari (Etiqueta Empresarial) – Etiqueta Empresarial.

2 de outubro – das 20h00 às 23h00

Francis Kodama e Raquel Pina (Citroën) – CRM Como Ferramenta de Relacionamento com o cliente.

Gislaine Rossetti (BASF) – Como Consolidar o Relacionamento Empresa / Comunidade.

Vivian Yamashita (Ferman) – O Mercado de Trabalho de Relações Públicas no 3° Setor.

Paula Defaveri (Citroën) – Marketing de Sensações.

Cristina Panella (CDN) – A Pesquisa de Imagem e a Comunicação.

Roberto Gonzalez (CorpBrasil) – Balanço Social e Marca Corporativa.

Laís Guarizzi (G&A) – Media Training.

Avaliação

A avaliação desta atividade foi feita pelos professores das disciplinas envolvidas, tanto em termos de aprendizagem quanto do alcance do objetivo estabelecido. Os alunos demonstraram alto grau de satisfação com a programação, o conteúdo e a apresentação dos palestrantes e, principalmente, com o envolvimento em atividades práticas da profissão. Essas opiniões expressas em sala de aula foram confirmadas por pesquisa, aplicada a todos os alunos participantes logo após o evento:

boa organização no que diz respeito à parte estrutural - equipamentos, organização das salas;

boa opção de temas - temas variados e interessantes;

é importante que os palestrantes sejam profissionais atuantes no mercado, e todos eles eram;

qualidade das apresentações dos palestrantes - boa dinâmica, todos promoveram atividades interessantes e produtivas demonstrando que estavam lá porque gostavam e não apenas para responder a um convite do Curso;

muito boa a iniciativa de arrecadação de leite em pó, é importante a colaboração para com as pessoas necessitadas;

muito boa a iniciativa do curso em promover estas Oficinas. Ajuda a sair da rotina da sala de aula. As oficinas são essenciais para compor a grade curricular do curso de Relações Públicas.

Encontro de Pais, Alunos e Professores

Concebido para os pais dos novos alunos, o encontro acabou se estendendo também aos pais dos veteranos. O evento compõe-se de uma sessão com apresentação sobre a Universidade e o curso, uma palestra de um profissional atuante na área sobre a profissão e debate, envolvendo pais, alunos, professores e palestrante.

Preparação

A preparação deste evento envolveu a coordenação do curso, todos os professores e os estagiários do Núcleo de Eventos, sob a coordenação do Prof. Paulo Regis Salgado e implicou nas seguintes atividades:

elaboração da programação;

distribuição das responsabilidades;

escolha do palestrante;

convite ao palestrante;

redação de carta-convite para os pais;

envio das cartas-convite;

envio de e-mail para pais e alunos;

divulgação por meio de cartazetes, mural temático e avisos em sala de aula;

reserva de auditório;

prospecção de patrocinador para o lanche;

contratação do lanche;

preparação da apresentação sobre a universidade e o curso;

preparação do texto do mestre de cerimônias;

treinamento do mestre de cerimônias;

preparação do cerimonial;

preparação do local do evento;

formação dos grupos de trabalho (recepcionistas e apoio);

preparação de kit a ser entregue aos pais.

Execução

A execução esteve a cargo dos estagiários dos três núcleos da Agência experimental, da coordenadora do curso, e dos professores das diversas disciplinas, sob a coordenação do Prof. Paulo Regis Salgado e obedeceu a seguinte programação:

Avaliação

A avaliação deste evento foi feita em três momentos distintos:

1º - Aumento progressivo do número de participantes:

1º semestre de 2002: 70

2º semestre de 2002: 120

1º semestre de 2003: 260

2º semestre de 2003: 150

2º - Testemunhos dados pelos pais durante o evento:

"Parabéns à Universidade Metodista pela iniciativa. Agora, sinto-me tranqüilo em relação à profissão que meu filho escolheu".

"Eu não sabia que negócio era este (Relações Públicas). Agora não vou mais atormentar a cabeça de minha filha".

"Eu não sabia que relações públicas era tão importante para uma empresa. Vou começar a utilizar na minha".

3º - Testemunhos dados pelos alunos em pesquisa aplicada logo após o evento:

Muito importante para que os pais conheçam um pouco sobre a profissão escolhida pelos filhos;

Muito bom para integrar os pais, ajuda no diálogo em casa.

Rede de Relacionamento

Voltado para as empresas da região do Grande ABC, a Rede de Relacionamento é um programa que visa a facilitar a inserção dos alunos do curso de Relações Públicas no mercado de trabalho, mediante treinamento específico dos inscritos e aproximação das empresas da região com vistas à abertura de novas vagas.

Execução

Sob a coordenação da Professora Márcia Perencin Tondato, a execução do programa Rede de Relacionamento está a cargo do Núcleo de Pesquisa da Agência Experimental de Relações Públicas e envolve as seguintes atividades:

assessorar a Coordenação do Curso no cumprimento das exigências legais e das normas da Universidade relativas aos contratos de estágios firmados entre o curso e as empresas;

disponibilizar as minutas dos documentos necessários aos estágio, submetidas à aprovação do Departamento Jurídico, no site da Universidade, com as devidas orientações, para que possam ser acessadas tanto pelos alunos quanto pelas empresas interessadas;

divulgar para os alunos as oportunidades de estágio que forem captadas;

manter arquivo de todos os Acordos de Cooperação celebrados entre o curso e as empresas;

manter registro informatizado e bancos de dados contendo todas as informações relevantes relativas às empresas/entidades e aos estagiários a elas vinculados.

O cadastramento dos alunos que se candidatam ao estágio é feito a partir de uma ficha de inscrição, cujo conteúdo é registrado em um banco de dados. Além dos dados cadastrais, essa ficha contempla também aspectos subjetivos, de delineamento de perfil, importantes na avaliação da adequação das vagas aos candidatos. Não se trata de um critério de seleção, mas de uma busca de compatibilidade, visando maior motivação dos alunos para o cumprimento dos programas dos estágios.

O cadastramento das empresas contempla, a princípio, a região do Grande ABC. Tal delimitação justifica-se pela facilidade de contato, visto que, entre as atividades do programa, estão previstas visitas às empresas para o estabelecimento de um relacionamento mais personificado:

assessorar a Coordenação do curso no acompanhamento ou na supervisão dos estágios;

divulgar, internamente, o programa por meio de mural específico, de mensagens eletrônicas e de visitas às salas de aula;

divulgar, externamente, o programa por meio de cartas às empresas, pelo site da Universidade e por visitas/apresentações a executivos que tenham poder de decisão ou influência para a contratação de estagiários ou abertura de novas vagas;

elaborar modelos de relatórios a serem utilizados pelas empresas para fornecimento ao curso de Relações Públicas das informações de cumprimento do estágio;

preparar os candidatos a estágio com cursos e oficinas de orientação, tendo como temas: elaboração de curriculum vitae, etiqueta empresarial; planejamento de carreira, como participar de entrevistas de seleção e redação.

Avaliação

O número de alunos atualmente estagiando é, sem dúvida, a melhor avaliação deste programa. As empresas que fazem parte do programa: Telefutura Telemarketing Ltda; Associação Paulista de Medicina; Burson Marsteller; Aon Warranty Services; Alpina Ambiental AS; Cipa Publicações Orodutos e Serviços; Narita Indústria e Comércio; Natura Cosméticos; Empar Eventos e Comunicações; Aon Warranty Services; Bax Global do Brasil; Real Previdência e Seguros; Selcon sistemas eletrônicos de controle; Comunidade Inamar; Dersa – Desenvolvimento Rodoviário; Skin Corner Elegance; Menezes e Lopes Advogados; Kostal Eletromecânica; ADS Assessoria de Comunicação; LVBA Comunicação; Ponto RH; FG Comércio de Roupas; Eclipse Consultoria e Teleinformática; Sisdam Sistemas de Comunicação; Canbrás TVA; FEI; Arvin Meritor Sistemas Automitivos; Delphi Automotive; Real Previdência e Seguros; Burson-Marsteller Brasil; Aon Warranty; Arte e Imagem Computação Gráfica; Roche Diagnóstica Brasil; DaimlerChysler do Brasil; CETESB; Fest Shop Comercial; Aon Warranty; Brastemp; Associação Paulista de Medicina; Toyota; Mosane Informatica; Akari Distribuidora de Cosméticos; Burson Marsteller; JB Comunication do Brazil; Texas Instrumentos Eletrônicos do Brasil; IBC do Brasil; Burson Marsteller ; Prefeitura do Município de São Paulo; Grupo Trade Comunicação ; TV SBT Canal 4 São Paulo.

Projeto de Divulgação

Este programa consta de palestras em cursinhos de preparação para o vestibular, em escolas do ensino médio e na Feira do Vestibular, tendo como objetivo atrair o interesse dos jovens para as relações públicas, mediante esclarecimentos sobre a profissão e sobre o curso de Relações Públicas da Universidade Metodista de São Paulo.

Execução

Sob a coordenação da Professora Jocélia Mainardi, a execução do projeto de Divulgação está sob a responsabilidade do Núcleo de Eventos da Agência Experimental de Relações Públicas, com a participação dos professores do curso e implica nas seguintes atividades:

cadastramento das escolas da região;

carta-convite às escolas cadastradas;

preparação da apresentação;

preparação das fichas cadastrais para os alunos participantes das palestras;

programação das palestras;

palestras.

Avaliação

A avaliação dos resultados deste programa será feita a partir do momento que dispusermos de dados referentes a, pelo menos, cinco períodos (semestres) consecutivos.

Encontro de Clientes de Projetos Experimentais

Até a implantação do Projeto Relações Paralelas, os alunos do sétimo semestre elegiam as empresas para as quais pretendiam elaborar o projeto experimental (TCC) e limitavam o relacionamento com elas às visitas que lhes faziam para levantamento dos dados necessários e a sua presença da banca final de avaliação. Com o propósito de esclarecer essas empresas sobre a profissão e sobre a sistemática de elaboração dos TCC´s, facilitando assim a tarefa dos alunos, criou-se o Encontro de clientes de Projetos Experimentais.

A cada turma que chega ao sétimo semestre, os alunos se organizam em agências que convidam seus clientes para uma reunião na Universidade, durante a qual, além dos esclarecimentos necessários, eles têm a ocasião de conhecer a Universidade e os professores orientadores dos projetos.

Execução

A execução deste programa está sob a responsabilidade de um corpo de professores de disciplinas ligadas ao Projeto Experimental, dos grupos (agências) de alunos do 7º semestre e dos estagiários do Núcleo de Eventos, sob a coordenação da coordenadora do curso, Professora Maria Aparecida Ferrari, e dos Professores Fábio França e Jocélia Mainardi e implica nas seguintes tarefas:

convite aos clientes mediante carta-convite;

confirmação das presenças;

preparação das apresentações;

preparação da logística.

Avaliação

Os bons resultados deste programa podem ser constatados pela sensível melhoria do nível de qualidade dos projetos experimentais e do relacionamento entre os grupos de trabalho e seus clientes. O comprometimento destes com o projeto contitui-se no principal elemento de alavancagem da motivação dos alunos e de maximização do resultado final.

Boletim Eletrônico: "Relações Paralelas" e "Prá Você"

Os dois boletins eletrônicos – "Relações Paralelas" e "Prá Você" – são duas publicações via Internet, dirigidas aos alunos do curso.

O primeiro é composto de artigos que enfocam temas relacionados aos conceitos da profissão e o segundo é uma espécie de mural eletrônico que mantém os alunos informados sobre o dia-a-dia do curso (disciplinas, provas, eventos, reuniões etc.). Ambos são de periodicidade semanal.

Execução

A execução deste programa está sob a responsabilidade dos estagiários do Núcleo de Produtos e Instrumentos de Relações Públicas, sob a coordenação dos Professores Fábio França e João Evangelista Teixeira e implica nas seguintes tarefas:

estabelecimento da pauta;

redação das matérias;

levantamento de notícias;

redação dos textos;

revisão dos artigos e dos textos;

envio.

Avaliação

A avaliação deste programa será feita por pesquisa a ser feita em 2004.

Orçamento Geral

Avaliação Geral

Depois de quase dois anos de funcionamento, o Projeto Relações Paralelas vem apresentando resultados altamente positivos para todos os envolvidos, em relação aos objetivos estabelecidos.

Os alunos, principalmente os dos três primeiros semestres, têm apresentado um perfil diferenciado em relação aos dos semestres anteriores. Demonstram maior motivação para os estudos e menor grau de insatisfação. Os demais, por não terem participado da semana de imersão, embora não tenham alcançado o mesmo grau de satisfação e de motivação, diferenciam-se, também de forma positiva, daqueles que, nos anos anteriores, não participaram do Projeto.

Os executivos das grandes organizações regionais têm se aproximado do curso com maior intensidade, ganhando em informações sobre a profissão e sobre a importância que ela tem para os seus negócios.

Essa aproximação tem favorecido o curso, não apenas pelo apoio para ganhar um caráter mais prático e voltado para a realidade profissional, mas também pelo desenvolvimento de projetos conjuntos que incluem o patrocínio de iniciativas como do jornal-laboratório RPCOM, da revista científica Estudos de Jornalismo e de Relações Públicas e da Home Page que se encontra em fase de criação.

Os pais talvez se constituam no segmento que passou por maior transformação. Aqueles que participaram do projeto compreendem, hoje, a importância da profissão escolhida pelos filhos, conforme depoimentos destes em pesquisa aplicada logo após o evento.

Em relação aos alunos, a Universidade e o curso (administração e professores) têm facilitada sua tarefa de educadores e valorizada sua imagem institucional.

A coordenação do curso, os professores e a Agência Experimental de Relações Públicas estudam atualmente as adaptações que se fazem necessárias ao projeto Relações Paralelas para, a partir de 2004, maximizar os resultados até então alcançados.

Transcrição adaptada dos registros existentes no CONRERP 2ª Região – São Paulo/Paraná

 


Desenvolvido pela Arena