História PDF Imprimir E-mail

O PRÊMIO NACIONAL DE RELAÇÕES PÚBLICAS foi criado pelo Conrerp 2ª Região - SP/PR em 1979, tendo sua primeira edição oficial no ano de 1980, então denominado “Prêmio Opinião Pública” – daí sua sigla “POP”, como é carinhosamente conhecido até hoje. Nestes 30 anos de premiações, o POP contemplou cerca de 270 cases em diversas categorias.


História

• Um Depoimento de Nemércio Nogueira

A ideia de criar o Prêmio Opinião surgiu no final da década de 70, quando eu era presidente do Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas – 2ª Região. Exercendo a profissão desde o início dos anos 60, eu sentia muito claramente a necessidade de demonstrar aos empresários e executivos (nossos clientes e empregadores) a relevância profissional de nosso trabalho. Pareceu-me então que uma forma adequada de alcançar essa meta seria a criação de um prêmio que distinguisse os trabalhos profissionais bem feitos e não simplesmente "O Homem de RP do Ano".

Foi assim que, com ajuda inestimável e a imensa dedicação de Antônio da Silva Leite que, à época, era Secretário-Geral do Conrerp, escrevi o regulamento e o registramos em cartório. Antes disso, eu havia procurado os dirigentes da ABRP – Associação Brasileira de Relações Públicas – para falar sobre a idéia e propor-lhes que o Prêmio fosse uma iniciativa conjunta das duas entidades. Eles, porém, não demonstraram interesse e por isso o Prêmio Opinião Pública ficou sendo exclusivamente do Conrerp.

Para redigir o regulamento, baseei-me em duas fontes principais: o Silver Anvil, prêmio entregue anualmente nos Estados Unidos pela Public Relations Society of America e oTop de Marketing da ADVB. Eu procurei definir que o Prêmio Opinião Pública fosse sempre outorgado a programas específicos, de forma a atingir o objetivo de demonstrar a utilidade e a importância do trabalho de Relações Públicas em várias situações: comunicação interna, apoio a marketing, divulgação jornalística, campanha comunitárias etc.

Hoje, quase 20 anos depois e já tendo distinguido vários trabalhos, seus autores, as empresas especializadas responsáveis e seus clientes, constato que o Prêmio Opinião Pública poderia alcançar repercussão ainda maior, se os atuais dirigentes das entidades profissionais de Relações Públicas de todo o Brasil se empenhassem em aperfeiçoá-lo, descentralizando a premiação e criando concursos regionais, que culminariam na premiação nacional. Quem, aliás, vem seguindo essa estratégia com grande sucesso são os responsáveis pelo Prêmio Aberje de Comunicação Empresarial.

Se há algo que realmente me orgulho, em termos de realização profissional, é o fato de ter sido o presidente do CONRERP SP/PR na gestão que criou o Prêmio Opinião Pública, que se constitui, a meu ver, no mais importante instrumento de divulgação e promoção de nossa atividade no país. Não só porque sua função é distinguir trabalho realizados – e não apenas os profissionais que os desenvolveram – mas também porque é, em minha opinião, o mais objetivo meio de difusão das técnicas, estratégias, metas e resultados do trabalho de Relações Públicas. Ano após ano – como acontece desde 1980 – o Prêmio Opinião Pública estará construindo um verdadeiro painel de trabalhos modelares que, além da divulgar nossa profissão juntos aos empresários, estarão também servindo de modelo, inspiração e fonte de conhecimentos para estudantes, professores e até para os próprios profissionais do setor.

 


Desenvolvido pela Arena