A comunicação como estratégia para a mobilização da gestão ambiental - Rodovia do Parque PDF Imprimir E-mail

1 – Análise do contexto da Organização

“O trabalho de comunicação desta equipe aqui na comunidade está sendo de máxima importância. As explicações, as reuniões e as notícias nos jornais sobre a obra e o meio ambiente estão fazendo com que eu e o meu grupo nos sintamos respeitados e, isso, acaba nos estimulando a trabalhar juntos e nos passa mais confiança e segurança sobre o nosso futuro. Eu nunca tinha visto um trabalho como este. Na verdade, nós aqui do Dique nunca recebemos atenção como tem sido agora com o programa da gestão ambiental da BR-448. Muito bom.” (Depoimento Ângela Maria da Silva, presidente da Associação de Moradores do Extremo Norte da Vila do Dique, Canoas/RS - setembro de 2011) A Rodovia BR-448 está sendo construída na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA). Atualmente, 40% deste empreendimento já está concluído, com o prazo para a entrega estimado para fins de 2012. Composta por 22,3km inicia em Sapucaia do Sul, passa por Esteio, Canoas e chega à Porto Alegre. É também conhecida como Rodovia do Parque, por margear o Parque Estadual Delta do Jacuí. Esta futura estrada tem como objetivo reduzir os congestionamentos da BR-116 - principal via de chegada à Capital. O trajeto passa por áreas com características diversas, tais como: terrenos planos, áreas inundáveis, margens de rios, lavouras de arroz e áreas urbanizadas. Por estas razões o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), órgão empreendedor, amparado em dispositivos legais deliberou por implementar 22 Programas Ambientais como forma de qualificar o meio ambiente e, concomitantemente, educar e despertar a sensibilização relacionada à preservação ambiental nos respectivos moradores, comunidade e futuros usuários da rodovia. Para esta Gestão e Supervisão Ambiental o Dnit contratou a empresa STE – Serviços Técnicos de Engenharia S.A.

2 – Descrição do Case

O desafio estava posto. Foi necessário iniciar as operações em novembro de 2010, a partir de uma forma inovadora para envolver todos os cidadãos destas comunidades sobre as questões ambientais, assim como todos os usuários da BR-116 a respeito da nova Rodovia, criando um “cinturão positivo tão forte”, que as agruras, decorrentes da construção de uma obra desta magnitude, passassem a ser aceitas e minimizadas por todos. Mas como fazer crescer esta consciência relacionada às questões ambientais? E como construir o interesse ambiental nos cidadãos diretamente envolvidos, considerando o baixo nível intelectual e a situação social? A questão foi descobrir a vocação deste novo empreendimento, através de um diagnóstico, seus pontos positivos e negativos, como ele estava sendo visto, qual a sua representatividade para a maioria e a percepção sobre a importância do meio ambiente para suas vidas. De posse destas descobertas, considerando-as e fundamentando toda atuação, sugerimos e iniciamos a implementação das ações de
relações públicas como devoluções aos anseios. Vale ressaltar que o desafio era fazer muito com um mínimo de recurso financeiro, pois a STE Engenharia não havia projetado verbas no seu orçamento para o desencadeamento destas ações.

3 - Planejamento de Relações Públicas

3.1 Briefing

Implantação de política de comunicação para promover a sensibilidade às questões ambientais, estimulando nos cidadãos a consciência e responsabilidade no seu comportamento, de tal forma que os mesmos viessem a ser multiplicadores positivos deste tema e alcançassem uma melhoria na qualidade de suas vidas. Através de um processo sistêmico de comunicação social, possibilitar que todos os cidadãos interessados tenham acesso adequado às informações acerca da obra e nutram uma posição positiva com relação à mesma para que, durante todo o tempo de construção da BR-448 não nos deparemos com sobressaltos sociais e paralisações provocadas pelas comunidades afetadas.

3.2 Objetivo

Estabelecer uma via de comunicação entre o empreendedor e os diversos segmentos de públicos envolvidos no projeto, criando espaços e mecanismos no intuito de construir uma gestão de relacionamento participativa e democrática, além de estimular a mudança de hábitos da população em relação ao meio ambiente, com o mínimo de recursos financeiros.

3.3 Estratégia de Relações Públicas

Difundir o conceito de que a BR-448 significa avanço sustentável por diversas razões: Tratará de forma especial toda a região, qualificando a questão ambiental; implantará ações educativas com relação ao meio ambiente; melhorará a qualidade de vida das famílias que serão reassentadas; agilizará o trânsito da RMPA promovendo satisfação e segurança aos usuários; e promoverá o desenvolvimento econômico e social daquela região.

3.4 Ações

Basear todo o planejamento em ações de relacionamento a partir da mobilização de pessoas formadoras de opinião, fazendo crescer nelas o sentimento positivo com relação à obra, sedução pela causa ambiental, e, principalmente, demonstrando a elas que o seu apoio é fundamental para a agilidade na construção do empreendimento. Ações específicas foram desenvolvidas focando os diferentes públicos (comunidade afetada, imprensa, autoridades, empresários, trabalhadores da obra, escolas, moradores do entorno da obra).

* Foi criado o slogan que significa o avanço sustentável inserindo-o em todo o material e difundo-o nas diversas oportunidades para alcançar uma mensagem única;

* Foram realizados encontros iniciais de apresentação da Gestão Ambiental da BR-448, para todos os segmentos de públicos envolvidos, abrindo um canal de relacionamento constante;

* Foi criado o site da Gestão Ambiental da BR-448, onde estão disponíveis e atualizadas todas as informações ambientais, em linguagem acessível e com elementos interativos;

* Foram criadas a logomarca e a identidade visual da gestão ambiental da BR 448, inserindo-as nos diversos aplicativos;

* Foi criado e produzido o boneco da mascote da BR-448, cuja figura está integrada na região, contendo características positivas na sua personalidade. A mascote apóia as atividades em escolas;

* Foi criado o informativo eletrônico que é enviado mensalmente a todos públicos, mantendo-os atualizados com relação ao desenvolvimento de todo o processo;

* Foi criada uma história em quadrinhos para ser distribuída nas escolas para as crianças;

* Foi criada a cartilha do trabalhador, que apóia as palestras e sedimenta melhor a informação;

* Foram gerados banners contendo todos os programas ambientais e a importância da gestão ambiental para apoiar as palestras externas;

* Foi gerado um banco de dados composto pela clipagem, informações técnicas, resumo dos programas, profissionais responsáveis por cada uma das atribuições, dados das regiões das comunidades envolvidas para que as informações estejam centralizadas, atualizadas e à disposição para as oportunidades de divulgação;

* São promovidas coletivas de imprensa, buscando oportunidades em programas de rádio e TV para entrevistas, envio de releases para os meios de comunicação local e nacional e assumindo uma postura pró-ativa junto à imprensa;

* Foram identificados os profissionais da STE que são as fontes de informação para que os mesmos estejam sempre preparados, atualizados e disponíveis para as entrevistas;

* São realizadas atividades interativas de educação ambiental com os alunos com as diversas faixas etárias e, de acordo com as mesmas, complementá-las com brincadeiras com a mascote;

* São promovidas constantemente palestras nos clubes de serviço (Lions, Rotary), associações de moradores, igrejas, sindicatos, Universidades, ONGs, Comitê de Bacias, classe empresarial, Câmaras de Vereadores, Secretarias de Educação, Meio Ambiente, Habitação de Sapucaia do Sul, Esteio, Canoas e Porto Alegre enaltecendo o progresso que a BR-448 propiciará e os cuidados com o meio ambiente bem como informando sobre os aspectos positivos da obra e da gestão ambiental;

* São promovidas palestras sistematicamente com os trabalhadores da obra, informando-os sobre os aspectos ambientais, a importância e a responsabilidade de cada um deles para os cidadãos daquela comunidade afetada.


3.5 Metodologia de Avaliação

A STE Engenharia adotou algumas medidas para avaliar a eficácia destas ações de sensibilização para as causas ambientais: depoimentos espontâneos de diferentes representantes dos públicos de alunos, educadores, trabalhadores e líderes empresariais; pesquisa qualitativa onde é aplicado um questionário semi-estruturado composto de perguntas fechadas e abertas nas atividades de cunho de educação ambiental; análise quantitativa a partir da assinatura de lista de presença ou fornecimento de cópia das chamadas nos casos das escolas; acompanhamento diário da mídia espontânea; acessos ao site; presença maciça nas diversas reuniões promovidas; pró-atividade dos jornalistas com relação ao acompanhamento da obra. 3.6 Resultados Parciais (DE NOVEMBRO/2010 A SETEMBRO/211)

* Cabe ressaltar que todas as reuniões e encontros para mobilizar os líderes e formadores de opinião foram promovidos sem desembolso financeiro.

* 10.371 pessoas receberam pessoalmente informações sobre a BR-448 durante 317 encontros promovidos no período de novembro de 2010 a setembro de 2011. Foram 6.598 estudantes; 1.488 membros da comunidade; 990 colaboradores da obra; 806 da sociedade civil e órgãos públicos e 489 educadores;

* 1.349 responderam à pesquisa qualitativa aplicadas após os encontros e 97% registraram que gostam ou gostam bastante das atividades propostas, pois elas promovem a sensibilização da comunidade para as causas ambientais;

* O site (www.rodoviadoparque.com.br) tem média mensal de 1.700 acessos já superando 18.700 mil visitas;

* Possuímos 1.300 nomes de formadores de opinião no nosso banco de dados eletrônico da gestão ambiental, composto por membros da sociedade civil organizada, empresários, educadores, educandos, autoridades federais, estaduais e municipais e imprensa que participaram das ações propostas pelo planejamento de comunicação e têm recebido mensalmente o boletim eletrônico;

* O Boletim eletrônico da Gestão Ambiental da BR-448 está na sua 14ª edição;

* Média de 97 citações/mês informativas nos veículos de comunicação impressos e eletrônicos para a Rodovia do Parque, de novembro de 2010 a agosto de 2011.

“A visita da equipe de Comunicação da Rodovia do Parque ao jornal, em paralelo, contribuiu para abrir caminhos e para nos abastecer com sugestões de novas pautas. Um volume maior de informações, neste sentido, começou a se transformar em matérias, abordando projetos de passagens de fauna e de controle de ruído, por exemplo.” (Depoimento do repórter Marcos Merker, Diário de Canoas - Grupo Editorial Sinos – setembro de 2011)

 


Desenvolvido pela Arena